PREVALÊNCIA DE ALTERAÇÕES BUCAIS NAS DOENÇAS GASTROINTESTINAIS INFLAMATÓRIAS CRÔNICAS: ANÁLISE DE 10 CASOS

Anderson Nicolly Fernandes-Costa, Jussara Melo de Cerqueira Maia, Ana Miryam Costa de Medeiros

Resumo


Introdução: Doenças gastrointestinais inflamatórias crônicas (DGIC) é um grupo de doenças em que se enquadram a doença de Crohn (DCr), a colite ulcerativa e a doença celíaca (DC) cuja origem ainda é incerta e são caracterizadas por terem um curso clínico crônico e intercalarem períodos de remissão com episódios agudos. Por sua vez, as manifestações bucais nas DGIC são achados clínicos comuns, podendo apresentar ulcerações e defeitos de desenvolvimento em esmalte, sendo aquelas, as lesões mais frequentes. Objetivo: Verificar a presença de alterações bucais em pacientes com DGIC. Métodos: A coleta de informações foi obtida através da aplicação de um questionário e de exame clínico em 10 pacientes diagnosticados com DGIC. Resultados: Os pacientes com DGIC apresentaram líquen plano oral, língua fissurada, dente supranumerário, torus palatino, microdentes, agenesia dentária, disfunção da ATM, granuloma piogênico, linha Alba e dente rosa de Mummery. O defeito de desenvolvimento de esmalte mais frequente nos pacientes com DC foi a opacidade difusa, na DCr foi a opacidade demarcada e na colite ulcerativa foram a hipoplasia e outros defeitos. Conclusão: De fato, as manifestações bucais e dentárias podem fazer parte do quadro das DGIC sendo importante a integração multidisciplinar no tratamento e acompanhamento desses pacientes. Além disso, foi evidente a relação entre alterações de desenvolvimento de esmalte e as DGIC.

Palavras-chave


Doenças Inflamatórias Intestinais; Medicina Bucal; Manifestações Bucais

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.