IDENTIDADE E ALTERIDADE EM HERÓDOTO: VISÃO DE UM GREGO A RESPEITO DOS EGÍPCIOS

Liliane Pessoa, Arthur Fabrício

Resumo


Considerando os avanços dos estudos acerca da etnicidade, alteridade e identidade no campo da História Antiga, o referido artigo se propõe a compreender as relações entre gregos e os “outros”, tomando como referência os três primeiros livros das Histórias de Heródoto. A análise do livro I Clio permite a identificação dos aspectos relevantes à compreensão do livro II e III, indicando qual o sentido de História, além da descrição dos outros povos. Com o intuito de registrar os grandes feitos de gregos e bárbaros, Heródoto apresenta a sua narrativa sobre os outros, tentando se “distanciar” da sua condição de grego, para mostrar as visões existentes sobre um determinado povo. Nos livros II e III – Euterpe e Tália – pretende-se observar como os egípcios, baseando-se no método de análise do discurso aplicado pelo historiador François Hartog, em sua obra O Espelho de Heródoto. Pretende-se, por fim, fazer uma crítica à fonte e identificar aspectos relevantes que podem ser entendidos sobre aquela civilização.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.